João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
Essa tal feliz idade
A vida que prega peças traz surpresas agradáveis,
Mostrando que a nossa idade corre mais em noite escura.
A chuva nos molha o dia, crescem flores de ancestrais,
Mas como um clarão da noite, é a fé quem nos segura.

A cada um sempre é dado, ter um novo recomeço,
Mas é preciso na vida, disposição para a luta.
Podemos mover montanhas, se a semente germinar,
De mostarda ou qualquer outra, pequenina e diminuta.

Ser grande é nascer pequeno, gigante por ser humilde.
Ainda crescer vencendo, e morrer despercebido.
O que vai sobrar dos ossos, não alimenta um buldogue,
Por isso pra que brigar, cure o seu peito partido.

Tem uns que carregam enxadas, ao sol forte da sua vida.
Outros vão bater volante, dentro de um caminhão.
Mas tem uns mais sabidos, que vivem para enganar,
Esquecendo que a sua riqueza são sete palmos de chão.

Cada geração tem seu trabalho em seu tempo,
Correndo contra o vento, nadando contra a maré.
Tenta criar os abrigos para fugir dos tremores,
Buscando na fé minúscula, manter a vida de pé.

Por isso quem ama a vida, a fé manda perdurar,
Poderemos ser mais fortes, com o passar da idade.
Talvez seja uma sina, ou ilusões da passagem,
Quem sabe a gente ainda encontre essa tal felicidade.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 12/08/2014
Alterado em 15/04/2015
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links