Textos

Pensamentos nº 13 – Da série Os ratos
1) Numa festa, os ratos roubam dos donos da casa para ratos amigos, vão comendo de graça, achando graça, até que algum rato se sinta acuado, com a ratoeira no umbigo, transformando tudo num castigo, delatando o caviar e a tequila, transformando a vida boa num perigo.  
2) Quanto os ratos passeiam, comem em grandes ceias de ilusão, mas quando dão bobeira deixam o rabo na ratoeira da prisão.  
3) O rato maior pensa que a vida toda vai mandar nos ratinhos menores, dando migalhas para calar as bocas, enquanto come caviar com chá e chouriço, até que a delação da revolta vai dar ao chefe o chá de sumiço.
4) Quantos ratos são necessários para roubar um litro de petróleo? E uma Petrobras inteira?
5) Os ratos grandes pensam que são donos dos ratinhos pequenos, mas na hora de pedir a conta, existe sempre os que não aceitam pagar o pato sozinho.
6) Ser rato é uma opção humana, mas ser humano não pé opção de rato. Se algum rato pensa que tem sete vidas, está enganado. Quem tem sete vidas é o gato, que gosta de comer rato.
7) O rato somente é domesticável na lagoa até o momento em que pisam no seu rabo, abandonando os seus chefes eles pulam do barco.
8) Ratos só reproduzem ratos, por isso a importância de não fazer amizades com gatos. Para rato grande, gato grande.
9) Os ratos aprendem ligeiro a roubar o queijo dos outros, até que pegam a bandeja errada e comem um pedaço com veneno.
10) Nas marés, os Ratos de esgoto do plano baixo são inferiores aos ratos do plano alto de hierarquias superiores, e ambos só gostam de comida respeitada, pesados, são fáceis de ser enganados e não percebem quando a canoa está furada.
11) Nunca queira ser um rato metido a sabido, pois quem com ratos se misturam cadeias comem.
12) Ser rato no Brasil já se tornou uma profissão na faculdade do crime, mas depois que estão dentro da lama com o bolsos cheios de propina, nenhum mais se redime.
13) Os rato metidos a sabidos vão partindo o trabalhador, comprando,  casas, apartamentos, mansões, sítios, iates com lavabo, para tentar comprar Deus, mas como esse dinheiro não existe, vendem a alma ao diabo.
14) Os ratos pobres que ficam ricos roubando os pobres passam a ser arrogantes, mentirosos e passam a extorquir, comendo remédios de tarja preta para conseguir dormir.
15) Os ratos de porão quando chegam os poderes dos palácios tentam esconder o queijo roubado embaixo do tapete da impunidade no mato, mas não adianta, pois um dia o tapete será lavado a jato.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 15/11/2014
Alterado em 21/11/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Bosco do Nordeste). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários