Textos

Pensamentos nº 21 - Da Série "Pensamentos irracionais"
1) Suprema é a ignorância dolente inferior de quem tem a supremacia da iniquidade benevolente de um velho metido a adolescente.
2) Nos limos escorregadios das águas passadas estão presentes as místicas das alternâncias sensacionalistas e pensamentos existenciais ausentes nas cargas d'águas dos problemas inexistentes embaixo das pontes dos sanatórios.
3) Quem mais entende de superioridade é a cegonha, que só existe voando na mente das pessoas, pois se na ficção ela nunca lhe trouxe, na realidade poética você nunca existiu.
4) Quanto quiser estudar a raiva através da filosofia, terá antes que decifrar a “salsa ardente” antes do sono da noite à revelia, para tentar não repetir a hipocrisia, que por acaso se passou durante o dia.
5) Se sete é o número da mentira, o que dirão das pessoas que já perdoaram 70 x 7 vezes? Quem vive pedindo perdão é porque gosta de mentira e de repetir os erros.
6) O estresse do paciente nada mais que a irresponsabilidade da tranquilidade, que insiste em soprar tempestades e raios na direção das mentes impacientes, enchendo de nuvens um belo dia de sol.
7) A saída para quem está solteiro é tentar não entrar buscando casamento com a mesma instabilidade que foi prometida nas Unidades Pacificadoras das favelas.
8) O único canal que deixa rastro no trajeto das profundas incertezas do ser desumano é o canal da mancha, no qual nem os mais sabidos conseguem esconder as mazelas jogadas na lama da sua vida.
9) Melhor ganhar saúde do que na loteria, para não subestimar a sobrenatural proporção da insignificante vitória, que no final o vencedor do prêmio sempre será o tal de Sete palmos.
10) A ambição maior do ser humano faz perder a sensibilidade da paciência, achando que a inquietação é uma decisão proposital, proporcional e inconsequente da ciência.
11) Nos parques infantis dos jardins da inocência, os animais entram nos pequenos buracos e brincam na roda do gigante dos adultos.
12) O feio da vida está na seriedade com a qual toda piada tem como um “Deus nos acuda”, presa numa carranca na beira de uma estrada carrancuda dos seres carrancudos.
13) Quem pensa que compra tudo com dinheiro, acha que é dono do céu, da terra e da rua, come remédios de tarja preta e vive com a falsa bunda de silicone virada para a lua.
14) Os três poderes de qualquer república são dois: o dinheiro.
15) Os semáforos foram colocados nos caminhos da selva de pedra para orientar os animais enjaulados em seus carros no senso nada comum, pois quanto mais perdidos, não vão chegar a lugar nenhum.

Observação: Se você entendeu algum deles, parabéns, pois escrevi na mais pura insanidade literária da obscura meditação contemporânea nesses tempos medievais.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 01/12/2014
Alterado em 16/08/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Bosco do Nordeste). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários