João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
O mundo acabou a jato (para alguns)
O MUNDO ACABOU A JATO (PARA ALGUNS)

Na cidade de Literacity chegou a notícia de que o mundo iria se acabar. A notícia foi trazida pelo chefão da trupe e maior autoridade da cidade, ao voltar da visita à capital do Estado. Viu que estava escrito nos outdoor, falado nas emissoras de rádio e na TV a frase: “O mundo vai acabar. Aproveite os últimos dias”.  
Todas as religiões da cidade fizeram um evento ecumênico e orientou que todos abandonassem o pecado, a mentira e a depravação, para que Deus perdoasse a todos nesse último momento.
As pessoas começaram a visitar os inimigos, para pedir perdão. Os maridos começaram a falar para as esposas das suas aventuras amorosas e as esposas também começaram a ser mais sinceras. Os ladrões foram procurar a polícia e se entregarem, os assassinos confessaram seus crimes e os corruptos começaram a fazer as suas delações premiadas.
Resultado foi que a cidade passou por uma lavagem a jato, com tantos milhões aparecendo em roubos bilionários, com aquele lugar virando um verdadeiro inferno. Havia até voos do chefão e da chefona da gang pagos pelos corruptores.  
Como eles fazem "o diabo" para se manter no poder mesmo no colo do capeta e dos amigos corruptos, os maiores responsáveis foram recebendo dos intermediários, os “abóboras”, os “laranjas” os "abacaxis" e os "pepinos" ficaram inicialmente com a culpa, tudo mostrava que esse mundo iria se acabar, por isso ninguém quis morrer sozinho, e numa atitude desesperada, entregaram o chefão e a chefona em delações premiadas. Realmente, para esses corruptos e seus chefões o mundo acabou, mas eles confiaram nos amigos juízes. Foram presos, seus bens começaram a ser confiscados e o dinheiro dos roubos a serem devolvidos.
Nesse ínterim, outro morador foi até a capital confirmar se realmente o fim do mundo estaria chegando. Na capital confirmou que estava escrito nos outdoor, falado nas rádios e na TV: “O mundo vai acabar. Aproveite os últimos dias de promoção das bombas Pump”. Porém,  tratava-se de uma propaganda comercial de material hidráulico.
Peguei o telefone e de lá mesmo liguei para uma Rádio local:
- Avisem aos trabalhadores que o mundo não vai acabar. Só acabou para os corruptos.
O repórter respondeu:
- Mas aqui o desemprego ainda está alto por conta dos bilhões roubados e desviados. O medo matou a esperança de muitos, pois apenas para alguns que têm contas na Suíça e em outros paraísos fiscais a coisa ainda está uma maravilha. Tem advogado que nunca recebeu tantos milhões em tão pouco tempo, e estão lavando a jato os para-choques dos seus carros importados com Whisky 24 anos importado.
- Então para os trabalhadores o mundo também acabou?
Continuou o repórter:
- A criminalidade está tomando conta de tudo. Tem muitos bandidos de colarinho branco lá em cima, e alguns metidos a sabidos aqui embaixo roubando as pessoas de classe média para baixo no meio da rua. O ladrão milionário tem carro blindado, segurança dobrada e advogados do lado para o defender.
- Hummm! Então lascou! O mundo para a nossa população também acabou a jato? Tudo a jato. Será que tem repórter que dá bom dia ao Brasil pela manhã que também precisa ser investigado?  
- Será? E artistas que ficaram ricos também.
- Percebeu? Quem engana sempre vai cair, será julgado, condenado e preso. O mundo acabou? Não, não é? Tem gente com medo de ser descoberto também.....
Ouviu-se um silêncio.
- Alô ! Alô! Você ainda está ai? Deu merda!
A ligação caiu. Alô, Alô!

- Conto do autor, no Livro Rapsódia de um contador de histórias, Editora Becalete, 2018.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 15/04/2015
Alterado em 27/11/2018
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links