João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
A história do Profeta Jonas e a baleia
A HISTÓRIA DO PROFETA JONAS E A BALEIA

Jonas, o filho de Amitai era um profeta de Israel, que ensinava as leis de Deus e amava as pessoas.
Um dia Deus mandou que Jonas fosse até uma grande cidade chamada Nínive, para falar sobre o amor e para que o povo parasse de pecar, pois em quarenta dias Deus iria castigar e derrubar aquela cidade.
Jonas ficou com medo de levar a notícia, por que o povo de Nínive era inimigo do povo de Israel. Jonas quis fugir de Deus pelo mar, e ir para Társis, uma cidade longe dali. Durante a viagem de barco o Senhor mandou uma forte tempestade, e o mar ficou muito agitado. Jonas estava dormindo no porão do barco, deixando bravo o mestre do navio, que disse:
- Levanta Jonas, pede ao seu Deus que acabe com a tempestade ou morreremos. O barco está muito pesado. O que deveremos fazer?
Jonas respondeu;
- Joguem-me ao mar, pois a tempestade é um castigo de Deus contra mim.
Os homens jogaram Jonas ao mar, e a tempestade acabou.
Dentro do mar apareceu uma baleia mandada por Deus, que engoliu Jonas e ficou com ele na barriga por três dias e três noites. Inicialmente Jonas teve muito medo, mas depois começou a rezar dentro da barriga da baleia, pedindo perdão a Deus. Então no terceiro dia Deus deu o perdão e o peixe cuspiu Jonas na areia da praia.
Na praia Deus falou de novo com Jonas e mandou que ele fosse a Nínive para falar ao povo sobre o amor de Deus e de suas leis, pois o povo estava fazendo muita coisa errada e a cidade iria ser destruída. Ouvindo Deus, Jonas se levantou e resolveu ir até a cidade de Nínive, andando por três dias.
Chegando lá, Jonas falou para que o povo não fizesse mais coisas erradas, pois em quarenta dias Deus iria acabar com a cidade. Depois de muitas conversas, os homens de Nínive acreditaram nas palavras de Jonas e no poder do amor de Deus. O povo passou a fazer jejum, e a vestir roupas de pessoas pobres, feitas com sacos.
Até o rei de Nínive aceitou parar de fazer coisas erradas e vestiu roupas como se fosse pobre também, e mandou que todos pedissem perdão a Deus, saindo do mau caminho e da violência. O povo atendeu o pedido de Deus e a cidade não iria mais ser destruída.
Quem não gostou do perdão foi Jonas, porque os seus amigos de Israel não iriam gostar da boa vida que Deus deu ao povo de Nínive, por isso ficou chateado e pediu a Deus para tirar a sua vida.
Saindo da cidade Jonas fez uma cabana embaixo de uma árvore que Deus plantou e fez crescer. Jonas estava alegre dentro da cabana com aquela sombra.
Mas para a tristeza de Jonas, durante a noite a árvore secou e morreu. Pela manhã o sol apareceu e Jonas ficou revoltado e não queria mais viver. Então Deus perguntou a Jonas porque ele ficou chateado com Deus apenas por causa de uma árvore que morreu, que Jonas nem plantou e nem cuidou? Mais importante são as árvores ou as pessoas?
Então disse que Jonas aceitasse a compaixão de Deus com as pessoas que moravam em Nínive, que mudaram o comportamento errado e entenderam o amor e as leis de Deus, deixando de fazer coisas erradas.
Jonas ficou feliz e entendeu mais uma vez o amor de Deus para com ele e para toda a humanidade.

- Conto do autor, no Livro Rapsódia de um contador de histórias, Editora Becalete, 2018.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 26/05/2015
Alterado em 27/11/2018
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links