João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
Parabaianos
A vida é quem abre a cancela da cerca,
entre a Paraíba e o Portal do sertão.
Chegando à Bahia um paraibano,
criou dois amores num só coração.
Cidades de João Pessoa e Pilar ou Salvador e Serrolândia?
Cajazeiras e Livramento ou Pilão Arcado e Brejolândia?

Pedi para vir, pra chegar, pra ficar.
O tempo passou como um rei soberano.
Estudo e trabalho estão num mesmo plano,
até me tornar mais um Parabaiano.
Cidades de Patos e Taperoá ou  Abaré e Caculé?
Souza, Lagoa de Dentro ou Caetité e Anagé?

Os times Bahia, Vitória e Fluminense.  
Ou o Treze, Serrano e o Campinense?
E as praias queridas,
Melhor Tambaú, Tambaba e Coqueirinho?  
Ou Barra, Itapoã ou até Buraquinho?
Cidades de Catolé e Serraria ou Riacho de Santana?
Belém e Brejo da Cruz ou Catu e Feira de Santana na Bahia?

Quem chega à Bahia fica logo apaixonado.
A família cresce com novos baianos ao lado.
Este conterrâneo já tem mais parentes,
chegando uns baianos de forma crescente.
Cidades de Bonito de Santa Fé ou Mundo Novo e Ipirá?
Baraúna e Bom Jesus ou Serrinha e Taperoá?

Na Paraíba geramos os primeiros passos,  
e na Bahia correu para a galera do abraço.
Esses dois estados tem os braços abertos,
como régua e compasso nos caminhos certos.
Ceará, e o Maranhão – Pernambuco e Piauí.
Alagoas e Sergipe – Potiguar que mora aqui.


Ilustres paraibanos podemos citar
Augusto dos Anjos e Bráulio Tavares.
Ariano Suassuna e até Zé Ramalho.
Assis Chateaubriand e Epitácio Pessoa.
José Lins do Rego e Roberta Miranda.
Pedro Américo e Félix Araújo.
Jackson do pandeiro e o mestre Sivuca
Celso Furtado e o Flávio José,
Herbert Viana e Geraldo Vandré.

Na Bahia não se nasce, estreia, e não fica para trás,
Pois tem Ruy Barbosa, Caetano e Gil.
Tem o Jorge Amado e Anísio Teixeira,
Dorival Caymmi, Gal Costa e Bethânia.
Tem o João Gilberto e o maluco beleza (Raul Seixas)
Teixeira de Freitas e tem Castro Alves a se destacar,
no tapete branco dos Filhos de Gandhi e o trio de Dodô e Osmar.

Brasileiro e brasileira: Aquele abraço!  
Baianinha e baianinho: Aquele abraço!  
A todos os Parabaianos: Aquele abraço!  
E aos Feirenses com carinho: A q u e l e   a b r a ç o!  
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 01/11/2015
Alterado em 19/02/2017
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links