João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
Pensamentos nº 58 - Da Série: O Poeta miserável
1. A lágrima de um sorriso pode ser a fonte de inspiração dos poetas errantes, pois eles são os verdadeiros adoradores das desesperadas letras chorantes.
2. O coração de poeta é como uma boa geladeira ... pode até ser frio no inverno, mas sabe guardar tudo de bom para usar quando chegar o verão.
3. As palavras singram nas linhas imaginárias no horizonte do firmamento do poeta, por mais que sejam impetuosas, sempre serão vistosas e caridosas no peito do atento leitor de verso e prosa.
4. Todo poeta sabe que a ignorância é uma anestesia temporal proposital, alimentada pelos matadores da cidadania e da infelicidade da incerteza, só um louco poeta fica em cima do andor de uma certeza.
5. Poeta é aquele que dá abraços nas folhas dos livros, jogando o leitor livre para dentro, passando a fazer parte da prisão da sua história.
6. Poeta é aquele que olha a lua no céu e ao mesmo tempo consegue ver os olhos de Deus no interior do ser humano. Ninguém é invisível para Deus. Para os poetas, alguns....
7. Poetas são adoradores das palavras retas e mudas, passando a vida tentando colocar voz nas recônditas curvas do fim do mundo.  
8. A alma do poeta vivo tenta entrar com as suas palavras nas escritas dos papeis, pois é o tempo de produção, mas somente quando morre é que as ideias vão se eternizando nas mentes.
9. O poeta, no presente, é um barco jogado contra as correntes do futuro, se não conseguir passar, vai cair com os “burros n’água”.
10. O poeta é, ao mesmo tempo, o aprendiz da realidade e o professor das ilusões.
11. Na sua geração, o poeta tenta agradar as editoras, mas somente na geração seguinte os seus textos passarão a ter valor, por isso não tenha pressa.
12. Escrever é a arte de fazer a revelação silenciosa das palavras que existem no interior dos suspiros mais ruidosos do coração.
13. Somente o poeta tem o poder de enxergar o pólen das flores no coração de quem vive o amor como pétalas despedaçadas.
14. Quem quiser botar as palavras para trabalhar, que me siga. As letras são os pneus, as palavras são os carros, e o combustível é a mente.
15. O bicho homem pensa que o poeta é uma besta miserável, mas ele próprio não tem a menor dúvida disso. Basta separar o bicho, o homem e a besta.

(Observação: Só coloquei no título o adjetivo “miserável”, para chamar a sua atenção para ler meus pensamentos. Pegadinha do poeta malandro)
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 11/11/2015
Alterado em 02/03/2019
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links