João Bosco do Nordeste
Professor Mestre em Educação e Administrador empreendedor
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
A cor da Borboleta de cada um
As escolhas são nossas responsabilidades nos rumos das estradas da nossa vida. Até as borboletas mais nervosas sabem disso, bastando entender entre as quatro fases, qual é a sua atual: ovo, larva, pupa ou imago?
Quem não descobre há tempo qual é a sua cor, e segue por qualquer caminho colorido, para onde for nesse zum zum zum poderá estar chegando a lugar nenhum, ou estar perdida.  
Por isso, é importante respeitar as asas e os rumos das outras espécies, as decisões e experiências de cada uma, pois toda causa traz sempre alguma consequência, e se tem tanta certeza da metamorfose, não será libélula por simples inocência.
Borboletas vingativas são aquelas que não pedem desculpas, seguem saltitante nos seus pulos, numa estrada pantanosa de mentiras, colocando a culpa na origem dos casulos.
O importante seria que as "borboletas humanas" tivessem consciência da curta vida real da sua existência, procurando o estudo e o trabalho, para receber respeito, sem depender de favores ou até de penitência, ocupando o lugar por mérito e não pelas cores das asas, pois a natureza é de TODOS até na indulgência. As incubadas na obscuridade são perversas, quanto mais for a cabeça colorida, mais pode pensar que é um arco iris, cada vez mais louca, desvairada e extrovertida.
A Borboleta fêmea coloca o ovo que eclode e nasce a lagarta, e por opção, assim vivem para crescer. Outras desgarradas que não têm filhos vivem a se ocupar da vida dos outros, preferindo dar mais ré do que ir para frente, entristecendo a quem mais ama intermitentemente.  
Podem observar, quanto mais vaidosa e colorida a borboleta, mais mostrará seus instintos de larvas de insetos holometabólicos, dentro das quais passam o período de pupa, preparando o seu lado de cores berrantes,pautada numa vida errante.
Já as borboletas felizes voam aonde possam encontrar os motivos da sua existência e o sentido da vida, da família e das sinceras amizades, pois não precisam ficar de quatro, paradas e perdidas no tempo e no espaço, dentro do seu casulo das vaidades.
Borboletas encubadas devem cuidar mais das suas vidas e do seu futuro, evitando dar orientações mau coloridas e equivocadas, porque as espécies do grupo informal "Rhopalocera", formado pelas Hesperioideas e Papilionoideas, podem estar pousando em estrada errada.  
A cor da felicidade é livre para qualquer borboleta, especialmente àquelas de alma solta e plena de sabedoria, que não deixarão acabar a sua espécie, procriando novos seres no deu dia-a-dia.
Portanto, se as asas da espécie aguentarem o seu peso, cada borboleta procure o seu clã e voe cada vez mais alto, vá ser feliz em outra pradaria ou estepe, e deixem os outros animais que não são borboletas também viverem em paz.
João Bosco do Nordeste
Enviado por João Bosco do Nordeste em 21/07/2018
Alterado em 03/07/2020
Comentários
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links